Resumo Histórico - ESA - Escola de Sargentos das Armas Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro

Página inicial > História > Resumo Histórico
Início do conteúdo da página

Resumo Histórico

Criado: Terça, 11 Agosto 2015 12:52

A Escola de Sargentos das Armas (ESA) é o Estabelecimento de Ensino de Nível Superior (Tecnólogo) do Exército Brasileiro, responsável pela formação de Sargentos Combatentes de Carreira das Armas de: Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações.

A estrutura é composta de alojamentos, refeitórios, salas de aula, laboratório, espaço cultural, biblioteca, auditório, posto médico, capelania, parque de pontes e uma extensa área desportiva constituída por ginásios, campo de futebol, pista de atletismo, piscina, campo de polo, pista hípica e pista de corda. Possui dois campos de instrução: Campo de Instrução do Atalaia com área de 4,6 km² e o Campo de Instrução Moacyr Araújo Lopes com área de 20 km², sendo este último distante cerca de 40 km de Três Corações/MG.

SUBORDINAÇÃO

A ESA é diretamente subordinada à Diretoria de Educação Técnica Militar (DETMil) a qual, em observância às diretrizes emanadas do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx),  orienta e fiscaliza as atividades de ensino da Escola.

História do Exército em TRÊS CORAÇÕES

Ao entardecer de 18 de junho de 1918, chega a TRÊS CORAÇÕES, proveniente da vizinha cidade de CAMPANHA, o 14º Regimento de Cavalaria (14º RC), sob o comando do Cel ÁLVARO DE SOUZA PORTUGAL. Consta que a transferência teria sido motivada por insatisfações causadas pela recente instalação do Regimento naquela cidade, então fortemente influenciada pela Igreja Católica, e sede do tradicional Colégio SION, freqüentado por moças provenientes das mais seletas camadas da sociedade sul mineira.Outra versão, contudo, sugere que a saída do 14º RC de CAMPANHA teria fundamento na firme e persistente negativa dos mandatários campanhenses em ceder ou doar o terreno destinado à construção do aquartelamento da Unidade (talvez em razão da primeira versão).

Em TRÊS CORAÇÕES, o 14º RC é excepcionalmente bem recebido pela comunidade e instala-se em parte das terras da “Chácara da Liberdade”, antigo “Saco”, situada em uma das alças do Rio Verde ― das três existentes, a do centro ―, nos subúrbios de TRÊS CORAÇÕES, propriedade que pertencia ao Cel VALÉRIO LUDGERO DE REZENDE (pouco mais de um ano mais tarde, a área seria adquirida pela União).

Em 1º de agosto de 1919, o 14º Regimento de Cavalaria é transformado em 4º Regimento de Cavalaria Divisionária (4º RCD).

Em junho de 1946, o 4º RCD é extinto, sendo criado o 19o Regimento de Cavalaria (19º RC). No ano seguinte, o 19º RC foi transferido, permanecendo em TRÊS CORAÇÕES um de seus Esquadrões, o 1º/19º RC. Esta subunidade existiu até 1949, quando foi incorporada ao efetivo da ESA, então recém-transferida para TRÊS CORAÇÕES.

(Extrato do livro 4º Regimento de Cavalaria Divisionário e sua História, de autoria do Cap Nelson Branco Ribeiro, Abr 2000).

A Criação da Escola de Sargentos das Armas

A formação do sargento combatente do Exército Brasileiro teve sua origem, como curso sistematizado, na Ordem do Dia Nº 552, de 28 de maio de 1894, por meio do Decreto Nº 1.199 de 31 de dezembro de 1892, do Vice-Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil que aprovou o Regulamento para a Escola de Sargentos. Este documento fez referência às Armas de Infantaria, Cavalaria, Artilharia e Engenharia.

A Escola de Sargentos das Armas (ESA), propriamente dita, tal qual como é reconhecida atualmente, foi criada no dia 21 de agosto de 1945, ao término da 2ª Guerra Mundial, por meio do Decreto Nº 7.888. Ocupou, inicialmente, parte das instalações da extinta Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro. A primeira turma graduou-se em 1946.

Quatro anos mais tarde, é transferida para Três Corações. Comandava a Escola o Ten Cel Inf MIGUEL LAGE SAYÃO, seu segundo Comandante.

No dia 18 de setembro de 1949, a população tricordiana, os integrantes do 1º/19ºRC e estudantes de todas as escolas lotam a Avenida Getúlio Vargas para assistirem ao desfile, em carro aberto, do Ministro da Guerra, General CANROBERT PEREIRA DA COSTA, tendo ao seu lado o Prefeito tricordiano, Sr. ODILON REZENDE ANDRADE.

A visita representava o resultado dos entendimentos que vinham se processando, no Rio de Janeiro, entre esses dois homens públicos.

O Ministro anuncia ao público que já havia assinado o documento que transferia do Realengo para Três Corações a Escola de Sargentos das Armas. E, também, que todas as dificuldades para a mudança já haviam sido superadas, graças ao apoio determinante do Prefeito.

No dia 1º de novembro de 1949, conforme consta em Boletim Interno da Escola, ainda com sede no Realengo, por determinação do Ministro da Guerra, foi nomeada uma comissão, com o fim de reconhecer as condições do aquartelamento e outras de caráter geral da cidade de Três Corações.

No dia 3 de novembro, chega à Cidade, onde permanece por três dias, uma comissão especial do Exército. No dia 5 de dezembro de 1949, é assinado o Decreto 27.543, que transfere a sede da ESA do Rio de Janeiro para Três Corações.

Em 3 de janeiro de 1950, outra equipe chega a Três Corações com a missão de conduzir um estudo final das futuras instalações da Escola.

Nos meses seguintes, toda a estrutura da ESA começa a ser transferida para Três Corações:

- 21 de março de 1950 – segue para a cidade tricordiana o 1º comboio, conduzindo a Formação Veterinária e os animais pertencentes ao Esquadrão de Cavalaria e Bateria de Artilharia;

- 1º de abril – parte do Realengo o 2º comboio, transportando pessoal e material da Companhia de Comando, Parque de Transmissões, Almoxarifado, Armamento, Casa das Ordens, Direção de Ensino e Corpo de Alunos;

- 18 de abril de 1950 – parte de Realengo o 4º comboio conduzindo pessoal e material da Cia de Petrechos e Fuzileiros, partes do CA, DE e o Parque de Armamento.

- 20 e 25 de abril – deixam o Realengo o 5º e 6º comboios com o restante dos alunos, armamentos e materiais auxiliares;

- 3 de maio de 1950 – chega à Cidade o TC Inf MIGUEL LAGE SAYÃO; é a data em que a Escola de Sargentos das Armas comemora sua instalação em Três Corações.

No dia 18 de novembro de 1950, o Ministro da Guerra, General CANROBERT PEREIRA DA COSTA, visita a ESA e assiste ao desfile comemorativo realizado por todas as escolas da Cidade. Logo após, em um almoço em sua homenagem, o General recebe do Prefeito ODILON REZENDE ANDRADE o título de "Cidadão Tricordiano".

A primeira turma de sargentos formada em terras tricordianas concluiu o curso no dia 21 de dezembro de 1950. Naquela época, a ESA formava sargentos das Armas de Infantaria, Cavalaria, Artilharia e Engenharia.

O Curso de Comunicações foi criado em 1961.

Entre os anos de 1970 e 1976, a ESA deixou de formar sargentos e funcionou somente com o curso de aperfeiçoamento, voltando à formação de graduados em 1977.

Em 1979, a Escola adota sua frase-símbolo, conhecida em todo o Exército Brasileiro e perenizada na sacada do pavilhão de comando: Sargento: elo fundamental entre o Comando e a Tropa, tema da aula inaugural proferida naquele ano pelo então Diretor de Formação e Aperfeiçoamento, Gen Div HERMANN BERCKVIST.

Em 28 de novembro de 1994, por meio da Portaria Nº 150, do Estado Maior do Exército, é criado o Batalhão de Comando e Serviços da ESA (BCSv/ESA).

O advento da evolução tecnológica, aliado a uma correta visão prospectiva dos cenários nacional e internacional, fomentaram mudanças no sistema de ensino do Exército, particularmente na formação dos sargentos.

Em 2005, o Exército Brasileiro introduz significativas alterações na sistemática de formação dos sargentos de carreira da Força Terrestre: é duplicado o tempo de duração dos Cursos de Formação de Sargentos (CFS), passando de 10 (dez) para 19 (dezenove) meses; além disso, organizações militares operacionais passam a fazer parte e contribuir diretamente para a formação do graduado profissional, sendo, na época, selecionadas 12 (doze) “organizações militares de corpo de tropa com encargos de formação de sargentos”, ou simplesmente OMCT, responsáveis pelo 1º ano da formação do sargento.

Com a implantação do ensino tecnológico na formação do sargento, a denominação OMCT foi alterada para Unidade Escolar Tecnológica do Exército (UETE) passando de 12 para 13 (treze) UETEs .

Em 27 de abril de 2007, conforme Portaria nº 229, de 23 de abril de 2007, o Comandante do Exército, concedeu à Escola de Sargentos Armas a denominação histórica "ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO".

A ESA comemora o seu aniversário em 28 de maio, data esta que estabeleceu uma ligação entre a Escola de Sargentos das Armas e a Escola de Sargentos de 1894.

A ESA é o Estabelecimento de Ensino de Nível Superior (Tecnólogo) do Exército Brasileiro, responsável pela formação de Sargentos Combatentes de Carreira das Armas de: Infantaria, Cavalaria, Artilharia, Engenharia e Comunicações, habilitando-os para exercício dos cargos das graduações de Terceiro-Sargento e Segundo-Sargento não aperfeiçoados, estabelecidos nos quadros de organização, em tempo de guerra ou de paz, diplomando-os a partir de 2020, inclusive, com o grau acadêmico superior de tecnologia.

A ESA é diretamente subordinada à Diretoria de Educação Técnica Militar (DETMil) a qual, em observância às diretrizes emanadas do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), orienta e fiscaliza as atividades de ensino da Escola.

A ESA exerce o controle técnico-pedagógico do Primeiro Ano do Curso de Formação e Graduação de Sargentos realizado em Unidades Escolares Tecnológicas do Exército (UETE) e conduz o concurso de admissão aos cursos de Formação e Graduação de Sargentos (CFGS) de carreira, em conformidade com as instruções reguladoras específicas fixadas pelo Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), contribuindo para o aprimoramento da doutrina militar na área de sua competência.




Fim do conteúdo da página